Como escolher uma agência de publicidade?


Você já contratou algum profissional para cuidar da comunicação/publicidade do seu negócio? Se sim, provavelmente você faz parte de um grande número de pessoas que em algum momento ficaram insatisfeitas. Pois a agência, ou o designer não fez o que você queria, do jeito que você queria. E pode ter certeza de que, em algum grau, esse profissional que você contratou também ficou incomodado com você como cliente.

Nós vivemos em tempos em que aprendemos que o cliente tem sempre razão. Quem manda é o cliente. Nesse caso, isso é tanto verdadeiro como falso. Vou explicar melhor, mas vamos começar do começo:

Cliente VS Agência

Durante toda minha vida profissional, sempre me encontrei com clientes que não sabiam porque me contrataram. Se interessam pelo trabalho, pela apresentação, pelas ideias, pelo preço. Mas na hora de colocar em prática, tentam fazer todo o trabalho por mim: apresentam as ideias, determinam as cores, as imagens, os conceitos, em quais mídias será feito. E pra mim sobra o mais fácil, que acaba se tornando o mais difícil, na verdade. A execução. Só que quando esses clientes pensam em todas essas ideias, eles realmente não visualizam como vai sair o resultado. E no primeiro olhar, já detestam e partimos para a próxima.

Eu sempre digo que isso é um processo extremamente prejudicial, tanto para o ele quanto pra mim. Por que? Porque o cliente acaba perdendo o seu tempo criando todas as estratégias que me pagou para criar, fica insatisfeito com o resultado, o trabalho demora o dobro do tempo (se não mais) e ambos saem perdendo. E ele acaba ficando insatisfeito com o trabalho do profissional que está executando aquelas ideias. Então, ruim para todo mundo.

Mas isso não quer dizer que o cliente é aquela figura má que está tentando tornar a minha vida um inferno. Muito pelo contrário, ele tem interesse pelo sucesso do seu negócio, quer que seu dinheiro seja bem investido, ele tem ideias e precisa de alguém para transformar aquelas ideias em um sucesso. Isso é excelente. O que eu percebi com o tempo é que muitas vezes esse desentendimento e insatisfação se devem por uma mistura de ansiedade e desconhecimento.

Mas como assim? Bom, certas estratégias demandam pesquisa; alguns trabalhos demandam horas, dias de execução para se chegar a um bom resultado. E além disso, o cliente não tem a menor obrigação de saber como o meu trabalho é feito. O primeiro passo para uma boa comunicação, deve vir do profissional de comunicação. Certo? Certo. Porém, a comunicação entre agência e cliente deve ser uma via de mão dupla. O cliente deve confiar naquela empresa que ele escolheu para cuidar da sua comunicação/publicidade, estar aberto a entender o que está sendo feito e analisar, com o tempo, se os resultados estão sendo positivos ou não. Usando uma excelente frase, do meu amigo Marcello Pepe, em seu livro, A Venda Antes da Venda, “a colheita só vem antes do plantio no dicionário”.

Mas ninguém tenta ensinar para um médico como fazer um exame. Já em publicidade, todo mundo dá pitaco...

Essa é uma das ideias mais repetidas entre nós, profissionais de publicidade, para explicar que “o cliente quer saber mais do que eu”. Eu mesmo já a utilizei muitas vezes. Mas cheguei à conclusão de que não é bem assim. Seguindo o mesmo exemplo, quantas pessoas ouvem um diagnóstico de um médico e pensam “ah, isso é bobagem. Basta eu tomar uma aspirina que resolve. Eu não fico doente”? Infelizmente, talvez eu seja uma delas.

É completamente normal que nós queiramos “dar pitaco” no que diz respeito a algo que é nosso. O cliente contratou uma agência, mas ele quer ter certeza de que tudo seja um sucesso para o negócio dele com esse novo investimento que está fazendo. Então, é natural que ele queira dar suas ideias, sugerir o que deve ser feito e o que não deve ser feito. Afinal de contas, ele entende seu negócio melhor do que a agência que ele contratou.

Tudo isso é verdade. Porém, como em tudo na vida, existem consequências para nossas atitudes. Eu posso me conhecer bem, saber que quase nunca fico doente, pensar que o melhor mesmo é comprar somente uma aspirina que amanhã eu estarei melhor. Se eu acabar precisando me internar em um hospital porque não quis ouvir o que o médico me disse, bem, a culpa é minha. Do mesmo modo é preciso refletir como é sua relação com a agência que o atende. Questionar é sempre algo muito saudável e vai ajudar no processo de crescimento de ambos. Mas precisamos fazer questionamentos com os embasamentos certos. Se não entendemos muito bem do assunto é uma ótima hora para procurar saber mais com um profissional capacitado que você já está pagando. Se ele não tem essa disponibilidade, ele está fazendo seu trabalho de forma errada. E aí, vale lembrar o ponto: esperar – analisar os resultados – decidir se está sendo bom ou não.

O cliente tem sempre razão

E voltamos ao ponto inicial. E como eu disse, nesse caso é tanto falso, como verdadeiro. O cliente tem sempre razão, ele deve ser ouvido, seus desejos devem ser saciados, suas expectativas devem ser alcançadas. Mas esse cliente não é você, que contratou uma agência. O cliente em questão é o seu cliente. Ele é a estrela de todo esse processo. Afinal de contas, você contratou uma agência para te ajudar a ter mais clientes; se comunicar melhor com eles; divulgar seus produtos ou serviços da melhor forma para que novos e velhos clientes vejam mais valor agregado a isso e tenha como resultado final, clientes mais satisfeitos e melhor retorno financeiro. Esse é o verdadeiro objetivo.

E esse é um ponto muito importante, tanto para você, quanto para a agência contratada. Tudo que é feito, tem que ter como objetivo final o seu cliente. Como chegar até ele? Como impactá-lo da melhor forma? Como elaborar estratégias com o melhor custo/benefício para fazer com que uma pessoa se torne um cliente fiel? Não são os seus gostos pessoais, o que te agrada mais e muito menos o que mais agrada os profissionais de uma agência de publicidade que vão te trazer bons resultados.

A relação entre você e a agência que te atende deve ser uma relação de parceria. Ambos devem unir forças e conhecimentos para alcançar um objetivo em comum: satisfazer os seus clientes. Você tem muito a contribuir, afinal de contas, ninguém conhece melhor seus clientes do que você. E os profissionais de uma agência devem saber pegar todo esse conhecimento e transformar em estratégias que irão alcançá-los. Pois se o seu cliente está satisfeito, ele vai continuar a ser seu cliente, ele vai passar a fazer publicidade do seu negócio; você terá maior retorno com isso, irá crescer. E assim, a agência que é sua parceira cresce junto com você. Todos ganham.

Conclusão

Escolher a agência que irá te atender é algo muito importante. Você está escolhendo quem irá levar seu negócio a quem mais importa, os seus clientes. Portanto, antes de decidir, pesquise, converse com os profissionais, tire suas dúvidas, pergunte como funciona. Não se preocupe somente com o preço ou com quantos likes vão te prometer conseguir no Facebook. E quando escolher, tenha em mente que você contratou um profissional por uma razão e siga sempre o processo: esperar – analisar os resultados – decidir se está sendo bom ou não. Confie no profissional que tem uma boa comunicação com você, que consegue te fazer entender o que está sendo feito. Pois se ele não tiver uma boa comunicação com você, as chances são pequenas dele conseguir ter uma boa comunicação com seus clientes.

#publicidade #atendimento #marketing

7 visualizações